A chuva

Gotas que caem do céu

Alimentam a terra

Renovam o ar e o espírito

Cheiro de grama molhada

Entra pelas minhas narinas

Envolve minha mente e me faze relembrar minha infância

Molha-me, me deixa sentir o frescor

Não quero aquela chuva melada, suja

Quero chuva fria, nova

Que me faça ter prazer

Ao sentir a água escorrer

Renovando meu espírito

Me reanimando

E reavivando meu nublado dia

 

(Thomas Tyn Chow Wang – 18/11/2013)

[publicado originalmente no blog do Palavrarte]

Sugestão de leitura: A lágrima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *